Microsoft anuncia assinaturas do Windows 10 na nuvem a US$7 ao mês

Encontre na trademinas a solução

13 jul
16
microsoft-muda-configuracao-minima-de-pcs-por-windows-10-mais-seguro

A Microsoft começa a materializar sua visão de sistema operacional como serviço. A fabricante revelou nessa terça-feira (12/07), durante o World Partner Conference, que a versão cloud do Windows 10 Enterprise E3 chegará para os clientes corporativos nos próximos meses, pelo preço de US$ 7 ao mês.

“Pelo equivalente a uma xícara de café e uma rosquinha, por dia, as empresas terão acesso a ferramenta de classe corporativa de alta segurança, pagando por uso e com base em subscrição”, afirmou Yusuf Mehdi, vice-presidente do grupo de dispositivos e sistema operacional da companhia. “Para quem é um cloud provider, isso é fenomenal”, adicionou.

Desde o lançamento do Windows 10, a Microsoft buscou maneiras de impulsionar a versão mais recente de seu sistema operacional. Uma das estratégias utilizadas foi o upgrade gratuito da plataforma. A outra, o anúncio de que seria vendido como serviço. Que chega um ano depois, e apenas para empresas.

Aina não há clareza se a modalidade de venda como serviço estará disponível para as versões do sistema dirigidas aos consumidores domésticos. Até o final de julho, usuários das versões 7 e 8 podem fazer o ugrade grátis para o Windows 10. Depois disso, a Microsoft indicou que pretende cobrar valores que giram entre US$ 99 e US$ 199 pelo sistema operacional, dependendo da categoria.

O que o “Windows como um serviço” realmente significa?
Yusuf Mehdi, vice-presidente corporativo do Grupo de Windows e Dispositivos, afirma que o Windows 10 Empresa E3 para CSP é para clientes empresariais de qualquer tamanho (incluindo a assinatura para apenas uma pessoa, em uma microempresa). O que significa que, nos Estados Unidos, um microempreendedor que assine o serviço receberá cerca de 28 meses de Windows 10 antes de pagar o preço equivalente de Windows 10 Professional.

Sabemos que a Microsoft quer incentivar consumidores e empresas a pagar por seus serviços como você pagar a conta de luz, um pouco a cada mês. Até aqui, o carro-chefe da Microsoft no modelo como serviço é o Office 365, usado por 70 milhões de pessoas, segundo o vice-presidente de Marketing Corporativo da companhia, Kirk Koenigsbauer. 70 milhões de pessoas pagam para usar o Office 365 a cada mês. Quando a Microsoft anunciou seus resultados do primeiro trimestre, em abril, a empresa revelou que 22,2 milhões desses assinantes eram consumidores, e o total de usuários corporativos da suíte de produtividade na nuvem havia crescido 57 por cento em um ano. A expectativa da empresa é a de que com o Windows aconteça o mesmo.

A mudança para a nuvem está se acelerando num ritmo recorde e a Microsoft registra quase 120 mil novas assinaturas de Microsoft Azure por mês. Para auxiliar as empresas a capitalizar ainda mais essa oportunidade, a empresa anunciou nesta terça que o Windows Server 2016 e o System Center 2016 serão lançados no evento Microsoft Ignite no próximo semestre.

Fonte: CIO